o riachense

Sbado,
13 de Julho de 2024
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Vazio directivo ameaça Atlético

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

A falta de candidatos aos corpos sociais do Atlético Riachense pode ser uma ameaça real à continuidade do clube.
Na última sessão da Assembleia-Geral, realizada no passado domingo, já em continuação da sessão iniciada no dia 5, também não apareceu qualquer lista de candidatos, o que levou a nova interrupção e à marcação da continuação para o próximo dia 9 de Abril.

 

Cerca de três dezenas de associados, parte deles membros dos actuais corpos directivos, estiveram presentes, mas sem qualquer solução na manga.
O actual presidente, Jorge Pereira, usou da palavra para sensibilizar os sócios para a necessidade imperiosa de aparecerem candidatos à gestão do clube, pois a época desportiva está a terminar e haverá necessidade de tomar decisões importantes, como seja o caso de aceitar ou não a subida de divisão, caso se confirme a conquista do título de campeão distrital, como tudo parece indicar dada a excelente prestação da equipa.
A continuidade dos actuais corpos directivos está afastada, pois terminaram o seu mandato. No entanto, alguns dos actuais membros estarão dispostos a integrar uma nova equipa directiva.
O presidente da Assembleia-Geral, José Luís Jacinto reforçou as palavras do presidente da Direcção e lembrou que o clube tem um prazo de dez dias após o términus do campeonato, previsto para o dia 2 de Maio, para confirmar a inscrição junto da FPF, ou renunciar à subida e ser penalizado com a despromoção à divisão secundária distrital.
José Luís Jacinto chamou a atenção para o facto do clube ter já aprovado as contas do exercício de 2008 e ter neste momento uma situação financeira equilibrada, em que os valores a receber são superiores aos valores a pagar.
Alguns associados usaram também da palavra, para enaltecer a importância do trabalho da Direcção cessante, mas chamando a atenção que o clube está a viver acima das suas possibilidades, com orçamentos demasiado elevados para as receitas geradas, o que só se contorna com a existência de mecenas a apoiar o clube.
Houve até quem dissesse que o melhor seria deixar cair o clube na segunda distrital e recomeçar tudo de novo, com os habituais carolas a tomarem conta dos destinos do clube.
José Luís Jacinto desdramatizou as questões orçamentais e lembrou que quem faz o orçamento para cada época é a Direcção que estiver em funções, pelo que poderá, legitimamente, fazer orçamentos mais reduzidos e adaptados à realidade das receitas geradas.
Outro associado chamou a atenção para a actual incapacidade do clube em gerar receitas extraordinárias e das dificuldades que essa falta provoca na gestão corrente.
Ainda antes de interromper a sessão, por sugestão de João Carlos Maurício e de um associado, foi deliberado nomear uma comissão que integra membros dos actuais corpos gerentes, para efectuar os contactos possíveis com vista à constituição de uma lista de candidatos a tomar conta dos destinos do clube. José Luís Jacinto, João Carlos Maurício e José Júlio Ferreira, constituem essa comissão.

 

Assembleia continua no dia 9 de Abril

A assembleia geral vai ter continuidade no próximo dia 9 de Abril, a partir da 21 horas, na sede do clube, e sem qualquer tempo de tolerância, uma vez que se trata da continuação da mesma assembleia.

Actualizado em ( Quarta, 17 Março 2010 19:55 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária