o riachense

SŠbado,
13 de Julho de 2024
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Se fosse uma estrada nacional, j√° estava resolvido

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF

Velhos assuntos demoram a morrer e, pelo menos este, a população de Riachos parece não estar disposta a esquecer. Ainda não tinha passado muito tempo desde que a questão do acesso irregular ao terminal MSC, no concelho do Entroncamento, pela Estrada do Relvas, na freguesia de Riachos, tinha sido levada à Assembleia Municipal, já este ano, pela voz de Cristina Tomé, da CDU.
 
Desta vez, foi Farinha Madeira que, no per√≠odo de interven√ß√£o do p√ļblico na √ļltima sess√£o da Assembleia de Freguesia acusou a C√Ęmara do Entroncamento de licenciar ‚Äúuma actividade para a qual n√£o deu nenhum acesso. A C√Ęmara de Torres Novas fechou os olhos, sei que n√£o h√° nada escrito‚ÄĚ. Depois de algum consenso ter ficado patente no seio da Assembleia, Alexandre Simas, presidente da Junta, disse que vai oficiar a C√Ęmara e levar o assunto √† Assembleia Municipal.
 
Este porto seco do segundo maior operador mundial de contentores por via mar√≠tima foi inaugurado em 2009 ap√≥s um investimento de 12 milh√Ķes de euros e movimenta v√°rias centenas de contentores mensalmente, tendo as percentagens de ocupa√ß√£o sempre muito altas. Entra-se nele pela Variante de Riachos, junto ao Viaduto do Relvas. Inicialmente o tra√ßo cont√≠nuo criava dificuldades aos camionistas, que tinham de o pisar para conseguir entrar no terreno do MSC, viessem do lado da Agromais ou do lado do Tocha.¬†
 
O perigo espreita naquela curva, diz Madeira: o tra√ßo cont√≠nuo existia porque, de facto, a visibilidade √© reduzida, n√£o h√° sinais de aviso sobre a entrada e sa√≠da de ve√≠culos e √† noite a zona est√° √†s escuras. ‚ÄúO problema √© ser uma estrada municipal, porque se fosse nacional, j√° estava resolvido‚ÄĚ, disse o eleito √† Assembleia Municipal de Torres Novas pelo BE no mandato anterior.
 
O facto √© que n√£o h√° registo de qualquer tentativa de entendimento entre os anteriores presidentes de C√Ęmara do Entroncamento e Torres Novas. Em 2010, Ant√≥nio Rodrigues classificou a situa√ß√£o de ‚Äúuma pouca-vergonha‚ÄĚ e resolveu o assunto descontinuando o tra√ßo cont√≠nuo. Algum tempo depois, Jaime Ramos rejeitou a exist√™ncia de qualquer irregularidade naquela estrada municipal, assim como da necessidade de articular esfor√ßos com Torres Novas para criar um acesso regular ao terminal da operadora su√≠√ßa. O ex-autarca entroncamentense disse ainda a O RIACHENSE que o projecto de liga√ß√£o da Zona Industrial do Entroncamento (ZIE) √† variante de Riachos estava conclu√≠do e que o financiamento da obra era da MSC. Mas nunca arrancou.

MSC é favorável ao melhoramento do acesso
Quatro anos depois, ap√≥s as mudan√ßas dos executivos, tent√°mos perceber em que ponto se encontra o processo e se existe inten√ß√£o de resolver o problema das acessibilidades da ZIE. Do munic√≠pio do Entroncamento n√£o obtivemos esclarecimento e Pedro Ferreira, o presidente da C√Ęmara de Torres Novas, disse que os munic√≠pios vizinhos t√™m um projecto comum para candidatar ao actual quadro comunit√°rio, relativo √† nova liga√ß√£o rodovi√°ria da A23 aos dois terminais (MSC e TVT), sendo que tal depender√° de contactos governamentais para reconhecer a import√Ęncia do assunto.
 
A MSC Portugal assumiu que a actual situa√ß√£o ‚Äún√£o √© muito funcional‚ÄĚ e que est√° ‚Äúsempre dispon√≠vel para encontrar solu√ß√Ķes que a todos beneficiem‚ÄĚ, assim como para participar ‚Äúem qualquer solu√ß√£o que represente uma efectiva melhoria do acesso‚ÄĚ. O director Nuno Josefa ressalva, contudo, que qualquer interven√ß√£o no terreno n√£o depende da MSC, tratando-se exclusivamente de uma compet√™ncia camar√°ria.
 
Apesar dos constrangimentos √† circula√ß√£o autom√≥vel que a configura√ß√£o daquele tro√ßo de estrada municipal provoca, a empresa garante que nunca houve qualquer sinistro ou contra-ordena√ß√£o decorrente da entrada de cami√Ķes ou outros ve√≠culos no recinto, em cinco anos de utiliza√ß√£o. Existe uma sensibiliza√ß√£o constante junto dos motoristas dos cami√Ķes, para que haja cautela nas manobras de acesso, refere a empresa antes de reiterar que ‚Äúobviamente, somos favor√°veis ao melhoramento do acesso, de forma a permitir uma melhor circula√ß√£o, mais fluida e menos complicada‚ÄĚ.
 
O terminal rodo/ferrovi√°rio do Entroncamento movimenta cerca de cem cami√Ķes por dia mas, diz o director, n√£o s√£o ‚Äúnem de perto nem de longe os √ļnicos a circularem nas estradas do concelho, nomeadamente nas circundantes ao terminal, n√£o sendo sequer a maior percentagem dos mesmos‚ÄĚ.
Actualmente o terminal dá emprego directo a 25 pessoas. A segunda fase do projecto, uma plataforma logística de 150 mil m2 que era para ter arrancado em 2011, ficou suspensa, aguardando pela retoma da economia nacional. 
 
A Rotunda dos Bois e a Rotunda Fernando Cunha s√£o testemunhos do volume de tr√Ęnsito pesado que transita na chamada Variante de Riachos, que inclui a Avenida do Senhor Jesus dos Lavradores e a Avenida dos Boieiros. O alcatr√£o est√° bem marcado pelos rodados dos cami√Ķes e os remendos s√£o muito vis√≠veis.
Actualizado em ( Quarta, 18 Junho 2014 16:37 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opini√£o

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, sen√£o concorro!

 

Jo√£o Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria