o riachense

TerÁa,
05 de Julho de 2022
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Rancho apagou as 56 velas

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF
 
O Rancho Folcl√≥rico ‚ÄúOs Camponeses‚ÄĚ de Riachos continua a encher a sala (Sal√£o de Santa Maria, pela terceira vez) de cada vez que celebra o anivers√°rio. O 56.¬ļ comemorou-se no dia 18 de Janeiro, em g√©nero de grande reuni√£o familiar e com muitas homenagens pelo meio. Muitas homenagens, desde os patrocinadores, aos antigos componentes at√© √† Alice Lopes, a cozinheira que sempre acompanhou o rancho enquanto p√īde.
 
Em conversa com O RIACHENSE, Joaquim Santana n√£o tem d√ļvidas do papel que os ranchos mant√™m na transmiss√£o de viv√™ncias e testemunhos dos tempos antigos √†s novas gera√ß√Ķes. Mas os tempos mudam e, agora, as novas gera√ß√Ķes t√™m outras coisas com que se entreter. Se antigamente os jovens batiam √† porta do rancho para aprenderem a bailar, hoje a maior parte dos elementos mais novos s√£o os filhos dos bailadores mais velhos ou de antigos componentes. Na campanha de angaria√ß√£o de novos elementos, para bailar ou para tocar, lan√ßada no ano passado, n√£o apareceu nenhum, mas juventude n√£o falta ao grupo, a m√©dia de idades n√£o √© muito alta, apesar de haver uns muito novos e outros muito velhos. Na festa do s√°bado passado voltou a haver lembran√ßas e diplomas para os membros que t√™m entre 10 e 30 anos de folclore.
 
E √© isso que interessa, o folclore. A qualidade t√©cnica do folclore praticado e os pormenores de representa√ß√£o e de autenticidade nos trajes, nas dan√ßas e nas m√ļsicas continuam a ser o motor da criteriosa gest√£o que o ‚Äúchefe‚ÄĚ faz das coreografias e do espect√°culo global, o que, mais uma vez, foi not√≥rio no momento da emocionada actua√ß√£o d‚ÄôOs Camponeses.
 
Aspecto tamb√©m muito valorizado no discurso de Joaquim Santana foi o apoio institucional da C√Ęmara, sem o qual a actividade do rancho fica muito condicionada. Em Dezembro passado, a C√Ęmara regularizou todas as d√≠vidas que tinha para com o rancho (gra√ßas aos fundos do programa PAEL). A vereadora da cultura, Elvira Sequeira, foi √† festa entregar um envelope simb√≥lico no momento de soprar as velas do grande bolo dos 56 anos (o f√īlego foi do grande Martinho Serra Oliveira), para representar o retomar dos subs√≠dios institucionais √†s bandas e ranchos folcl√≥ricos do concelho, tr√™s anos depois da interrup√ß√£o. Os 200 euros mensais ser√£o pagos todos os meses ao mesmo tempo que os sal√°rios da C√Ęmara, garante a vereadora.
 
N√£o fossem os ranchos folcl√≥ricos muito dependentes de apoios, as ‚Äúpropinas‚ÄĚ s√£o outra modalidade de sustento a que o rancho de Riachos se habituou. ‚ÄúPropinas‚ÄĚ √© um termo que alguns pais de componentes come√ßaram a utilizar para se referirem aos apoios financeiros regulares que continuam a dar.
 
O que tamb√©m n√£o podia faltar era o ‚Äúl√° l√° l√°‚ÄĚ. De cada vez que um membro sai do rancho, tempor√°ria ou definitivamente, aparece o c√©lebre agradecimento de m√£os no ar, desta vez dedicado √† jovem Marta Ferreira. O ‚Äúl√° l√° l√°‚ÄĚ teve origem em 1964, na primeira desloca√ß√£o do grupo ao estrangeiro, a Fran√ßa, onde aprenderam este cumprimento com um grupo local.
 
Esse √©, de resto, um epis√≥dio praticamente encerrado: as desloca√ß√Ķes ao estrangeiro, uma das partes mais importantes da velha fun√ß√£o de ‚Äúlevar o nome de Riachos ao mundo‚ÄĚ, j√° n√£o s√£o poss√≠veis, e n√£o √© por falta de convite. Antigamente, quem convidava pagava tudo e mais cachet mas, hoje em dia, o rancho n√£o disp√Ķe de 10 ou 15 mil euros para fazer uma viagem ao estrangeiro. O chefe Santana guarda na sede uma pasta com dezenas de convites do estrangeiro, s√≥ do ano passado. No que respeita ao territ√≥rio nacional, por outro lado, os subs√≠dios da C√Ęmara podem vir a permitir mais algumas desloca√ß√Ķes, mas ainda √© cedo para pensar nisso. A prioridade √© a renova√ß√£o dos trajes, que absorve sempre uma grande parte do or√ßamento anual, devido ao desgaste a que s√£o sujeitos.

Novo espectáculo no Virgínia em produção
Por alturas da reposi√ß√£o do espect√°culo ‚ÄúA Viagem‚ÄĚ no Teatro Virg√≠nia, no ver√£o passado, o novo programador, Tiago Guedes - que Joaquim Santana descreve como sendo ‚Äúmuito mais aberto do que o anterior‚ÄĚ - convidou o Rancho para fazer um espect√°culo no Virg√≠nia. Ser√° a 12 de Abril.
 
Concebido e dirigido na totalidade pelo rancho, o espect√°culo ter√° a participa√ß√£o das fadistas Teresa Tapadas e C√©lia Barroca e os m√ļsicos Jo√£o Chora, Jos√© Nobre Costa, Jo√£o Pina, Francisco Gon√ßalves, a mesma equipa de m√ļsicos que trabalhou no memor√°vel espect√°culo Ra√≠zes Rurais, Paix√Ķes Urbanas, em 1997 e 1999. Os ensaios t√™m in√≠cio previsto para esta semana e Joaquim Santana confessa-se com for√ßa para agarrar o desafio, apesar das conting√™ncias da sua vida pessoal, que lhe retiram algum do tempo que gostaria de dedicar ao rancho. Um dos nomes poss√≠veis para o espect√°culo √© ‚ÄúRiachos, Viv√™ncias, Tradi√ß√Ķes e Saudade‚ÄĚ.
 
Depois de uns anos em que parecia que tudo o que o rancho fazia era para arranjar dinheiro para fazer face às necessidades da sua existência, o programa de actividades agora voltou a ter mais oferta. Para Junho está também assegurado mais um festival de folclore em Riachos.
Actualizado em ( Quarta, 22 Janeiro 2014 17:30 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opini√£o

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, sen√£o concorro!

 

Jo√£o Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria