o riachense

Segunda,
01 de MarÁo de 2021
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Sandra Mesquita apanha 8 meses de castigo

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF

Futsal feminino ‚Äď AFS com m√£o pesada

O conselho de disciplina da Associação de Futebol de Santarém teve mão pesada para com as futsalistas do Atlético Riachense. Sandra Mesquita foi castigada com oito meses de suspensão e um jogo de castigo, Vera Raimundo apanhou dois jogos de castigo e Inês Lopes vai ficar três partidas na bancada. Já a directora Isolina Silva tem que pagar 100 euros de multa e cumprir 30 dias de suspensão, enquanto o clube foi multado em 25 euros de multa e alvo de processo disciplinar.


A avaliar por estes castigos, parece que o jogo de futsal feminino entre o Atlético Riachense e o Cartaxo, disputado no dia 12 de Março, no pavilhão de Riachos, a contar para a fase de apuramento de campeão, foi uma batalha campal ou coisa parecida. Mas não. Ao que parece, as jogadoras riachenses excederam-se nos protestos e foram penalizadas.
Para chegar ao t√≠tulo, o Atl√©tico precisava de vencer. A partida estava a decorrer normalmente, sem casos, com o Atl√©tico a ganhar por 2-1. J√° perto do final da segunda parte, quando o Cartaxo se preparava para marcar um canto por indica√ß√£o do √°rbitro principal Nuno Ferreira, o 2.¬ļ √°rbitro Jorge Moreira, que se encontrava no lado oposto do campo, assinalou penalti contra o Riachense. Ningu√©m se apercebeu de qualquer falta e a atleta Vera Raimundo foi expulsa sem raz√£o aparente. A delegada ao jogo Isolina Silva acabou tamb√©m por ser expulsa devido a protestos, mas segundo a pr√≥pria, sem utiliza√ß√£o de qualquer tipo de inj√ļria ou palavr√£o.
O Cartaxo marcou a grande penalidade empatando a partida. No entanto, segundo o Atlético, não foram respeitadas as leis de jogo, porque as jogadoras forasteiras terão invadido a área de guarda-redes antes que a bola tivesse sido pontapeada.
No seguimento da reposi√ß√£o da bola em jogo, o √°rbitro assinalou uma falta contra o Cartaxo j√° no seu meio campo. Contudo e numa atitude que as jogadoras riachenses consideram provocat√≥ria, Jorge Moreira indicou que a falta ocorreu alguns metros atr√°s. A seguir, o 2.¬ļ √°rbitro dirigiu-se ao banco de suplentes do Atl√©tico Riachense e expulsou as jogadoras In√™s Lopes e Sandra Mesquita (esta por amostragem de 2.¬ļ cart√£o amarelo).
Gerou-se um enorme sururu, algumas jogadoras mostraram intenção de abandonar o campo, e o árbitro terminou o desafio argumentando, segundo a directora Isolina Silva, que o Atlético terá abandonado o terreno de jogo, quando isso não terá acontecido. Isto quando faltavam ainda alguns minutos para o final.
O jogo acabou mesmo e na quinta-feira passada foram conhecidos os castigos. A dirigente explicou a ‚Äúo riachense‚ÄĚ que Sandra Mesquita se ter√° excedido um pouco nas palavras por se sentir penalizada devido ao suposto descontrolo do √°rbitro, mas considera que o castigo de oito meses √© totalmente descabido.
Acresce que segundo o Regulamento Disciplinar da AFS, a instaura√ß√£o de processo disciplinar ao Atl√©tico Riachense, deve-se √† infrac√ß√£o ao Artigo 55.2: ‚ÄúSe o abandono ou mau comportamento colectivo ocorrer num dos tr√™s √ļltimos jogos de uma prova a disputar por pontos, o clube √© punido nos termos do n√ļmero 2 do Artigo 49¬ļ‚ÄĚ. E o Art. 49 n.¬ļ 2 diz ‚ÄúSe a falta de compar√™ncia ocorrer em um dos tr√™s √ļltimos jogos de uma prova a disputar por pontos, o clube √© punido com desclassifica√ß√£o na respectiva prova, baixa de divis√£o e multa de 300 euros ‚ÄĚ. Ou seja, se ficar provado que o Atl√©tico abandonou o jogo, corre o risco de ser desclassificado.
A sec√ß√£o de futsal feminino ficou perplexa com os castigos, mas n√£o vai apresentar qualquer protesto na AFS. ‚ÄúN√£o vale a pena, s√≥ se for para gastar dinheiro. S√≥ para iniciar o processo, o clube teria de pagar 204 euros‚ÄĚ, explicou-nos um dos seccionistas, que deixa ainda algumas cr√≠ticas no ar: ‚ÄúFizeram tudo bem feitinho. Querem-nos quebrar, mas se calhar n√£o v√£o conseguir‚ÄĚ.
Para mostrar a sua indignação, as jogadoras escreveram uma carta à AFS onde dão a sua versão do sucedido, salientando que alguns árbitros teimam em prejudicar o Atlético.

A carta aberta do plantel de futsal feminino dirigida aos presidentes da direcção, do conselho de justiça, do conselho de disciplina e membros do conselho de arbitragem da Associação de Futebol de Santarém pode ser lida na edição de papel.

Vers√Ķes distintas no site futsaltejo.com

No site de referência do futsal regional, futsaltejo.com, os problemas do jogo foram referidas da seguinte forma:
Informa√ß√Ķes fornecidas pela nossa colaboradora do CA Riachense: Jogo encontrava-se empatado 2-2 quando a equipa de arbitragem expulsou tr√™s jogadoras da equipa visitada, dando de seguida por terminado o encontro por n√ļmero insuficiente de jogadoras em campo, por parte do CA Riachense.
Informa√ß√Ķes fornecidas pela nossa colaboradora do SL Cartaxo: Jogo encontrava-se empatado 2-2, tendo a equipa visitada abandonado deliberadamente o terreno de jogo, com o √°rbitro a dar por finalizada a partida em consequ√™ncia destes acontecimentos, constando inclusivamente no relat√≥rio de jogo estes factos.

 

 

Actualizado em ( Quarta, 23 Mar√ßo 2011 15:47 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opini√£o

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, sen√£o concorro!

 

Jo√£o Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria
Faixa publicit√°ria