o riachense

Quinta,
19 de Abril de 2018
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Atlético entra com o pé esquerdo

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Já se previa que o Atlético Riachense iria ter dificuldades acrescidas nesta época em que volta a militar na 1.ª divisão distrital.
A sangria no plantel foi quase total e a opção directiva de construir uma equipa a custo zero, iria ter custos em termos de resultados desportivos.
Note-se que não se culpabiliza os responsáveis do clube por esta opção. É capaz de ser o único caminho possível, face à situação financeira degradada que transitou da época passada. Pois bem assumiu-se o risco de perder a maioria dos jogadores e foi-se buscar outros se calhar menos cotados, mas todos com uma disponibilidade total para vestir a camisola alvi-negra e a equipa entra em campo sempre com vontade de vencer. Foi assim em Torres Novas e agora com o Samora.
O pior é que as coisas não têm resultado e a equipa contabiliza duas derrotas nestes primeiros dois jogos e isso não ajuda nada.
É evidente que ainda agora a procissão vai no adro e o treinador, Vítor Serra, terá ainda algumas arestas a limar no plantel.
No jogo de abertura, em Torres Novas, os alvi-negros podem-se queixar do árbitro, que interferiu directamente no resultado final, mas frente ao Samora as coisas descarrilaram por culpa própria.
A equipa não é, certamente, indisciplinada por natureza, mas há que ter cuidado com as atitudes em campo. Terminar o jogo com apenas oito jogadores em campo é muito negativo e, decerto, terá consequências nos próximos jogos. Esperemos que não sejam demasiado pesadas para as cores de Riachos. Fazendo o ponto de situação após as duas jornadas é de assinalar o bom desempenho dos amarelos que integram o trio de líderes, onde estão também o Mação e o Amiense. Nando Costa está em alta.
Cá mais para os fundos da tabela há cinco equipas que ainda não pontuaram: Atlético Riachense, Moçarriense, Ferreira do Zêzere, Emp. Comércio e U. Abrantina. São para já quem, aparentemente, vai ter mais dificuldades em garantir a manutenção, mas, repete-se, a procissão ainda agora vai no adro.
 
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária