o riachense

Quarta,
15 de Agosto de 2018
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Simas, o astérix viu-se grego - especial eleições

Qual seria o resultado de um referendo em Riachos, parecido com o que foi feito na Grécia, que perguntasse aos eleitores se a Junta deveria aceitar a proposta da Câmara para a delegação de competências à freguesia? Como se diriam em “riachês” o oxi e o nai com que teríamos que responder a essa pergunta?
 
Por um lado, nos “cornos do boi” ficaria a Junta se assinasse, porque a responsabilidade pelo desleixo da freguesia ser-lhe-ia atribuída, como habitualmente já é, mesmo sem as tais delegações. Por outro lado, Riachos teria um problema como a Grécia tem no tratamento com a Europa: a Câmara nunca iria ceder a Riachos aquilo que não cedeu às outras Juntas (ainda que maioritariamente do PS). A Junta riachense até tem as contas relativamente sãs (com qualquer coisa como 50 mil euros no banco), ao contrário dos gregos, mas deveria descapitalizar-se para fazer a manutenção nos espaços municipais, enquanto não há acordo?
 
Mais confiança na boa-vontade da Câmara, pediu Pedro Ferreira ao dizer que aos poucos vai-se ajustando as coisas com mais uns tostões. O que deverá fazer, então, o próximo presidente da Junta, eleito daqui a três meses: assinar o acordo que se diz ser (mais) uma demonstração de desprezo por Riachos, ou continuar com o diferendo e deixar que tudo vá ficando, dia a dia, ainda mais degradado? Adia-se mais meio ano a resolução na expectativa de que o orçamento de 2016 traga alguma boa-nova, e para já encolhem-se os ombros e engolem-se os sapos?
 
Com a intransigência que mostrou desde o início na defesa de uma distribuição mais justa das finanças municipais, logo se propagou em Riachos o paralelo Simas-Astérix. Mas, contrariando a ilusão de Alexandre Simas, parece que o histórico centralismo da cidade não foi ultrapassado com a troca do bigode de Rodrigues pelo bigode de Ferreira, mesmo que este seja mais sorridente.
 

As opiniões de:
 
Actualizado em ( Quinta, 30 Julho 2015 11:41 )  
{highslide type="img" height="200" width="300" event="click" class="" captionText="" positions="top, left" display="show" src="http://www.oriachense.pt/images/capa/capa801.jpg"}Click here {/highslide}

Opinião

 

António Mário Lopes dos Santos

Agarrem-me, senão concorro!

 

João Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária