o riachense

TerÁa,
25 de Abril de 2017
Tamanho do Texto
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Feliciano Dias, o eterno capit√£o

Enviar por E-mail Vers√£o para impress√£o PDF
Feliciano Dias continua a jogar √† bola em todos os domingos da nossa inf√Ęncia.

H√° tr√™s meses, a Nova Augusta, revista de cultura editada pelo munic√≠pio de Torres Novas, publicou um texto de Carlos Sim√Ķes Nuno sobre os primeiros tempos do futebol em Riachos. O autor dedicou o seu trabalho ‚ÄúAo Feliciano Dias que continua a jogar √† bola em todos os domingos da minha inf√Ęncia‚ÄĚ.¬†Esta bela dedicat√≥ria diz muito sobre a import√Ęncia que Feliciano Dias teve e ainda tem no futebol em Riachos. A sua invej√°vel resist√™ncia f√≠sica e sobretudo a sua atitude de jogador √≠ntegro e correcto dentro e fora das quatro linhas servia de exemplo para colegas e era profundamente respeitada pelos advers√°rios e √°rbitros. Para gera√ß√Ķes de riachenses, que iam √† bola no campo da Raposa aos domingos, Feliciano Dias era um √≠dolo sereno e discreto, algu√©m que indicava a atitude correcta de jogar √† bola, algu√©m que fazia jogo limpo, que nunca foi castigado, que respeitava e era respeitado. Para estas gera√ß√Ķes, Feliciano Dias continua ainda a jogar como dantes e √© ainda o capit√£o de todas as equipas do Atl√©tico, aquele que no fundo simboliza a forma honrosa, digna e desportiva de praticar desporto. Feliciano Dias nunca abandonou a sua equipa de sempre. A sua vida confunde-se com a hist√≥ria do Atl√©tico no √ļltimo meio s√©culo.

Carlos Tomé

Agora j√° com 74 anos Feliciano Dias ainda calcorreia a p√© mais de 10 quil√≥metros, duas ou tr√™s vezes por semana. Veste um fato de treino, cal√ßa umas sapatilhas e lan√ßa-se nas caminhadas em grande velocidade que dificilmente encontra quem o acompanhe. Palmilha os caminhos do campo de Riachos, de gorro na cabe√ßa e andar acelerado. Ainda hoje respira sa√ļde e vigor de fazer inveja aos mais novos.
 
Come√ßou a jogar futebol nos juniores do Atl√©tico aos 17 anos na √©poca de 1955/56 e manteve-se a jogar em provas oficiais at√© aos 43 anos. ‚ÄúSempre tive gosto pelo desporto e preparava-me bem‚ÄĚ diz √† laia de desculpa pelo facto de ter jogado futebol durante tantos anos. ‚ÄúO principal √© um indiv√≠duo gostar do que faz‚ÄĚ acrescenta. E Feliciano Dias gostava tanto do que fazia que nunca largou a camisola do Atl√©tico. ‚ÄúTive muitos convites para jogar em todos os clubes da regi√£o mas nunca quis sair do Atl√©tico. Julgo que dantes havia mais amor √† camisola. Houve uma data de anos que a equipa do Atl√©tico era constitu√≠da s√≥ por rapaziada de Riachos. N√£o havia ningu√©m de fora. Na minha opini√£o ou um indiv√≠duo √© profissional do futebol, que n√£o era o caso, ou ent√£o tem o seu trabalho e joga √† bola porque gosta. Era o que eu fazia‚ÄĚ.
Para al√©m de sempre ter vestido as cores do Atl√©tico durante um quarto de s√©culo a jogar futebol, Feliciano Dias foi tamb√©m sempre capit√£o em todas as equipas em que participou. √Č um facto provavelmente √ļnico na regi√£o. ‚ÄúEram os jogadores que me escolhiam. Se calhar escolhiam-me pela minha conduta e pela minha aplica√ß√£o. Os √°rbitros tamb√©m tinham muita considera√ß√£o por mim. Nunca fui castigado por tratar mal algu√©m ou por ser incorrecto para algum jogador ou para algum √°rbitro. Nunca tive nenhum problema disciplinar.‚ÄĚ

O¬†capit√£o era sempre escolhido pelos colegas que viam em si um exemplo de dedica√ß√£o e compet√™ncia. A sua voz era respeitada por todos. ‚ÄúEu era muito considerado. N√£o era por jogar muito bem mas tinham muito respeito por mim‚ÄĚ.
 
Mas Feliciano Dias n√£o era apenas um bom jogador de futebol, pois tamb√©m praticou outros desportos e ajudou o Atl√©tico na gin√°stica. ‚ÄúJoguei basquetebol numa equipa dos CTT e estive uma data de anos talvez 10 ou 12 ligado √† gin√°stica do Atl√©tico, que come√ßou ainda antes do 25 de Abril. Cheg√°mos a ter quase 300 crian√ßas na gin√°stica‚ÄĚ.
E¬†quanto √† situa√ß√£o do clube, estar√° Feliciano Dias apreensivo quanto ao futuro? ‚ÄúN√£o estou apreensivo. O Atl√©tico deve s√≥ fazer aquilo que pode fazer. N√£o pode esbanjar muito dinheiro. Se n√£o pode andar na 3.¬™ divis√£o que ande nos regionais. Importante √© representar bem a terra e n√£o andar em grandes aventuras sem poder. No caso de baixar de divis√£o n√£o h√° problema nenhum. Ali√°s, quando come√ßou a √©poca j√° se sabia que era poss√≠vel descer‚ÄĚ.

Feliciano com Manuel da Vaca e Casc√£o (agachado)
 
Caso se pergunte ao Feliciano Dias se haver√° algum risco deste clube acabar, porque o futuro √© incerto, a resposta n√£o se faz esperar ‚Äúacho que o Atl√©tico n√£o acaba. Riachos sempre foi uma terra muito virada para a pr√°tica do desporto e j√° houve muitas crises que foram sempre ultrapassadas, at√© j√° houve uma altura em que foram os pr√≥prios jogadores que tomaram conta do clube. Dificuldades sempre houve e sempre foram vencidas. N√£o tenho medo do futuro. N√£o tenho medo que o clube possa acabar porque isso n√£o vai acontecer‚ÄĚ.
 
Se lhe perguntarem quem foi o melhor jogador que vestiu a camisola do Atl√©tico, Feliciano Dias diz n√£o saber, certamente por n√£o querer melindrar ningu√©m. Mas adianta que ‚Äúum jogador para ser de facto bom n√£o basta ser habilidoso, tem que ser disciplinado e o clube tem de contar sempre com ele. Se for habilidoso mas for malcriado e andar sempre expulso n√£o √© um bom jogador. Tem que ser √≠ntegro, um bom homem dentro e fora do campo, a sua conduta tem que ser um exemplo para os outros‚ÄĚ.
 
Agora que s√≥ faz marcha, Feliciano Dias ainda continua a jogar √† bola em todos os domingos da nossa inf√Ęncia. E o seu exemplo ficar√° para sempre a marcar a mem√≥ria colectiva desta terra. A hist√≥ria do Atl√©tico passa pela vida deste homem. Confunde-se com ela. Na mem√≥ria de muitos riachenses ele ainda joga √† bola. Ele ainda √© o capit√£o.
Actualizado em ( Sexta, 25 Novembro 2016 11:29 )  

Opini√£o

 

Jo√£o Triguinho Lopes

Uma história de Natal

 

Raquel Carrilho

Trumpalhada Total

 

António Mário Lopes dos Santos

Orçamentos, coisas para político ver?

 

Jo√£o Triguinho Lopes

A grande feira de todas as contradi√ß√Ķes